sábado, 17 de abril de 2010

México

UMA OUTRA AMÉRICA DO NORTE

Nome Oficial: Estados Unidos Mexicanos
Área: 1.958.201 km
População: 298.000.000
República presidencialista Moeda: novo peso mexicano Língua: castelhano
Embora fisicamente situado na América do Norte, o México, devido à colonização espanhola de caráter mercantilista, é econômica e culturalmente bastante diferente das nações anglo-saxônicas. Podemos, assim, falar de uma “outra América do Norte” e, dessa vez, latina.

MOMENTOS HISTÓRICOS FUNDAMENTAIS

AS ORIGENS - civilizações indígenas altamente desenvolvidas (olmeca, teotihuacana, maia e asteca).
SÉCULO XVI - chegada dos espanhóis. Hermán Cortés, um dos principais líderes dos colonizadores iniciais, domina os astecas, dando início à cristianização e à espanholização dos nativos.
PRIMEIRO NOME ADMINISTRATIVO - Vice-Reinado do México (Nova Espanha).
PRINCIPAIS ESTRUTURAS ECONÔMICAS COLONIAIS - a “hacienda” (latifúndio dedicado à pecuária e à produção agrícola voltada aos mercados europeus); mineração de ouro e prata.
CUSTO SOCIAL DA COLONIZAÇÃO - boa parte da população indígena foi dizimada pelo trabalho e por doenças. O México, no início do século XIX, era definido como um país de “muita riqueza e máxima pobreza).
1821 - o México se torna independente e o general Iturbe se coroou Imperador, sendo rapidamente substituído pelo general Antônio López de Santa Anna, que proclamou a República.
1824 - promulgada uma Constituição que estabelecia a República Federativa, formada por 19 estados, 4 regiões e 1 distrito federal (em 1836, o general Santa Anna outorgou uma nova Constituição que abolia o federalismo, centralizando o poder).
REAÇÃO À NOVA CONSTITUIÇÃO - os habitantes americanos do Texas, um dos territórios da federação mexicana, pediram apoio aos Estados Unidos. Santa Anna venceu os americanos que se agruparam no forte de Álamo, mais foi batido e preso pelo exército norte americano (o Texas foi anexado aos Estados Unidos).
1846 – 1848 - guerra entre os Estados Unidos e o México (vitoriosos, os norte americanos se apropriaram de mais da metade do território mexicano).
1861 - a França estabelece no México um império “fantoche”* tendo como governante o Arquiduque Maximiliano de Habsburgo. O objetivo de Napoleão III, então imperador francês, era tirar proveito da Guerra da Secessão norte-americana para barrar a presença dos EUA na América Latina, que passaria, na opinião do líder francês, a ser “área de influência” do governo de Paris.
1867 - o líder mexicano Benito Juárez, liderando a resistência, expulsa os franceses e restabelece a República.
1876 - o general Porfírio Diaz toma o poder, dando início a 35 anos de ditadura.

O “PORFIRISMO” - regime autoritário modernizante (Porfírio Diaz abriu o México aos capitais estrangeiros, implantou ferrovias e, como conseqüência, acentuaram-se as desigualdades sociais.
SOCIEDADE MEXICANA NO INÍCIO DO SÉCULO XX - latifundiários, burguesia comercial, formação de classes médias urbanas e uma imensa e miserável população camponesa.
1910 - eleições (Porfírio Diaz, através de eleições fraudadas, vence o candidato liberal-reformista Francisco Madero).
1910 - Madero, encabeçando uma frente composta por classes médias e camponeses liderados por Emiliano Zapata e Pancho Villa, dá início à Revolução Mexicana, que derruba Porfírio Diaz e assume o poder.
1917 - promulgada a Constituição revolucionária, ainda em vigor e, na época, considerada a mais progressista do mundo, prevendo legislação trabalhista e reforma agrária.
1929 - as forças políticas revolucionárias se agruparam no Partido Nacional Revolucionário (PNR), antecessor do atual Partido Revolucionário Institucional (PRI).
1934 - subia à presidência o líder populista Lázaro Cárdenas que implantou a reforma agrária, industrializou o país, criou o ensino universal e obrigatório, rompeu com a Igreja Católica, expropriou os bens das companhias petrolíferas estrangeiras e nacionalizou o petróleo, fundando a PEMEX (“Petróleo Mexicano”).
1992 - México, Estados Unidos da América e Canadá assinam o Acordo de Livre Comércio Norte-Americano (NAFTA).
1994 - na região de Chiapas, no sul, é criado o Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN), tendo por objetivo defender os indígenas da área que vivem em condições miseráveis e são extremamente explorados pelos grandes proprietários rurais.
1938 – 2000 - ao longo de todo esse período, o México foi governado exclusivamente por lideranças do PRI, que se tornou uma agremiação partidária corrupta, apoiada por lideranças oligárquicas (“caciquismo”) e sempre eleita por meio de fraudes eleitorais.
2000 - o Partido Ação Nacional (PAN), agremiação conservadora de oposição, elegeu o presidente Vicente Fox, quebrando a hegemonia do PRI.

RELEVO - o México é, em boa parte, formado por cadeias montanhosas, destacando-se a Sierra Madre Ocidental, no litoral do Pacífico, a Sierra Madre Oriental, localizada no Golfo do México e as Sierras Madre do sul e Neovulcânica Transversal, no centro do país.
CLIMA - no Norte: seco, desértico e de estepe; Sudeste: tropical chuvoso; no Planalto Central: temperado.

A POPULAÇÃO MEXICANA

COMPOSIÇÃO ÉTNICA - mestiçagem entre indígenas e espanhóis.
MORTALIDADE INFANTIL - 27 crianças para cada 1000.
ESPECTATIVA DE VIDA - 69 anos para os homens e 75 anos para as mulheres.
CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO - 1,35% ao ano.
TAXA DE ANALFABETISMO - 9%.

ECONOMIA

ESTRUTURA AGRÁRIA - “haciendas” (latifúndios) e “ejidos” (aldeias comunitárias).
AGRICULTURA - milho, base alimentar do país e sempre cultivada junto à mandioca e à batata-doce (sistema asteca de plantio denominado de “conuco”; algodão e cana-de-açúcar ( importantes gêneros de exportação).
PECUÁRIA - bovinos e ovinos. O México é o décimo maior produtor mundial de carne.
RECURSOS MINERAIS - ouro, cobre, zinco, chumbo, prata (maior produtor mundial) e petróleo, esse encontrado na região do golfo.
INDÚSTRIAS - alimentícia têxtil, petroquímica e siderurgia.

O NAFTA

Em 1992, o Canadá, os Estados da Unidos da América e o México assinaram o Acordo Norte-Americano de Livre Comércio (em inglês North American Free Trade Agreement – NAFTA) que entrou em vigor no dia 1 de janeiro de 1994. Essa zona de livre comércio, que abrange 400 milhões de pessoas e um PNB (Produto Nacional Bruto) da ordem de 8 trilhões de dólares, está sendo progressivamente implantado por meio da gradativa redução das barreiras alfandegárias entre os três paises. Inegavelmente, os Estados Unidos da América são o núcleo polarizador e dinâmico dessa zona de livre comércio e, portanto, a nação economicamente hegemônica na área. Muitos sindicatos americanos, temendo a instalação de indústrias dos Estados Unidos no México em função da mão-de-obra barata, vem combatendo o NAFTA. Também no México, principalmente no empobrecido sul, há oposição ao acordo, que vem ampliando as
desigualdades sociais. De fato, o NAFTA beneficia os setores mais especializados e educados da burguesia e das classes médias mexicanas, marginalizando ainda mais a população menos qualificada.

O MÉXICO HOJE

RENDA PER CAPITA - 5.600 dólares.
CRESCIMENTO ECONÔMICO - 3,5% ao ano.
INFLAÇÃO - 9,6% ao ano.

Vocabulário da aula
* Fantoche – boneco do teatro de marionetes; títere; pessoa controlada por outra, incapaz de agir por si só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muito agradecido pela sua visita.
Me perdoe não poder responder às suas perguntas.
Se gostou e quiser elogiar ou criticar positivamente, ficarei agradecido e até envaidecido.
Se não gostou, não há necessidade de expor sua ira, frustrações ou ignorância escrevendo grosserias. Simplesmente procure outro material na internet.
Forte abraço!
Prof. Miguel