sábado, 17 de abril de 2010

Índia - Dados Políticos

NOME OFICIAL - República da Índia
CAPITAL - Nova Delhi
MOEDA - rúpia indiana
ESTRUTURA POLÍTICA - República Parlamentarista
PRINCIPAIS PARTIDOS - Congresso Nacional Indiano e Partido Janata
PODER LEGISLATIVO - bicameral (Conselho do Povo e Casa do Povo)

OS PRINCIPAIS EVENTOS E PROCESSOS DA ÍNDIA CONTEMPORÂNEA
O PRIMEIRO-MINISTRO DA ÍNDIA PÓS-INDEPENDÊNCIA (1947 – 1966) - Jawaharlal Nehru(Congresso Nacional Indiano).

POLÍTICA EXTERNA DE NEHRU - na Conferência de Bandung (1955), Nehru, Tito (Iugoslávia), Nasser (Egito) e Sukarno (Indonésia) formularam o conceito de “terceiromundismo”, ou seja, a criação de um “bloco de nações não-alinhadas”, eqüidistantes do mundo ocidental, liderado pelos EUA, e do socialismo de modelo soviético. Os objetivos da proposta eram: consolidar uma soberania e autonomia
políticas plenas e levar adiante um processo de desenvolvimento econômico baseado na noção de que somente a industrialização, de base estatizante, geraria a prosperidade nacional.

POLÍTICA INTERNA DE NEHRU - incentivo à pesquisa científica e à modernização tecnológica; projetos educacionais visando promover a escolarização básica de toda população; subsídios estatais à implantação de indústrias, fundalmentamente as voltadas à produção de bens de capital; criação de uma moderna infraestrutura econômica (energia e transportes); aumento da produção agrícola para atender às necessidades de uma população caracterizada por um crescimento desordenado e extraordinariamenterápido.

ÊXITOS DE NEHRU - reconhecimento internacional de sua liderança; feitos tecnológicos, tais como a colocação de satélites em órbita e o desenvolvimento da física nuclear, que levaria a Índia a detonar uma bomba atômica em 1974; relativo aumento da produção agrícola e ampla criação de indústrias.
O SEGUNDO GOVERNANTE DA ÍNDIA - a filha de Nehru, a Primeira-Ministra Indira Gandhi (Congresso Nacional Indiano), cujo primeiro mandato se prolongou de 1966 a 1977.

POLÍTICA EXTERNA DE INDIRA GANDHI - continuação da política “terceiromundista” de Nehru e conflitos com o Paquistão motivados pelo domínio da Caxemira (região indiana de maioria religiosa muçulmana ambicionada pelos paquistaneses). Em 1981, Indira Gandhi desfechou um ataque ao Paquistão em apoio ao movimento separatista da província do Paquistão Oriental, que então adquiriu sua independência sob a denominação de República Popular da Bengala (Bangladesh).

POLÍTICA INTERNA DE INDIRA GANDHI - campanha de esterilização em massa da população masculina visando diminuir o crescimento demográfico; apesar de seu discurso nacionalista e populista, a Primeira-Ministra levou adiante uma tímida liberalização econômica, aceitando algumas diretrizes do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial. Isso desagradou a todos os segmentos sociais: as camadas populares tiveram seus rendimentos diminuídos e os setores empresariais, principalmente os ligados ao capital estrangeiro, passaram a exigir mais concessões.

A ÍNDIA DE INDIRA GANDHI CONHECE PROBLEMAS - o relativo fracasso da política de esterilização; diminuição do crescimento econômico em função da “crise do petróleo” do início dos anos 70, exportações de bens industriais abaixo dos índices projetados pelo governo.

ELEIÇÕES DE MARÇO DE 1977 - o Congresso Nacional Indiano é esmagadoramente derrotado por uma coligação entre três partidos de oposição: o Bharatiya Janata (de orientação hinduísta e nacionalista), Partido Socialista e o Congresso pela Democracia, representante da casta dos “intocáveis”.

TERCEIRO GOVERNO INDIANO (1977 – 1980) - encabeçado pelo Primeiro-Ministro Morarji Desai, que em nada alterou a política externa de não-alinhamento e foi incapaz de cumprir suas promessas de melhorias econômicas e pleno emprego. Uma cisão na maioria governista forçou a convocação de eleições, as quais reconduziram Indira Gandhi ao poder.

SEGUNDO MANDATO DE INDIRA GANDHI (1980 – 1984) - caracterizado por um relativo autoritarismo e por sucessivas acusações contra a corrupção da burocracia estatal, o que desgastou a imagem pública da primeira-ministra.

O GRANDE PROBLEMA - proliferação de conflitos étnicos, principalmente entre a maioria hinduísta e os adeptos da religião Sikhs. Em 1984, a tensão chegou ao ápice quando tropas do exército, a mando de Indira Ghandi, invadiram o Templo de Ouro, o mais sagrado santuário Sikh localizado em Amristar, matando centenas de pessoas. Em represália, grupos radicais da seita planejaram a eliminação física da primeira-ministra, que é assassinada, em 1984, por um dos seus guarda-costas, membro da etnia
perseguida.

SUCESSOR DE INDIRA GANDHI - seu filho Rajiv Gandhi (Congresso Nacional Indiano) MEDIDAS INTERNAS DE RAJIV - apoiado por uma sólida maioria parlamentar, o novo Primeiro-Ministro promoveu negociações com os Sikhs e outros movimentos separatistas indianos, em especial o que então se desenvolvia na importante região do Punjab. Disposto a concessões, Rajiv concordou em ampliar a autonomia da área em troca da manutenção, por parte do governo central, do controle sobre defesa, relações externas, finanças, correio, sistema viário e telecomunicações.

POLÍTICA EXTERNA DE RAJIV - em 1987, o governo indiano interveio no conflito do Sri Lanka, onde a maioria da população, de etnia cingalesa, enfrentava o movimento separatista dos Tamis. Forças pacificadoras indianas foram mandadas para a região, obtendo uma efêmera cessação dos combates.
Informado de que o Paquistão estabeleceu um programa de desenvolvimento nuclear, Rajiv anunciou que a Índia não tinha condições de renunciar a construção de artefatos atômicos.

POLÍTICA INTERNA DE RAJIV - modernização tecnológica (seu slogan: “micro computadores é o caminho para o progresso”). Esse objetivo fez com que os trabalhadores indianos, temendo a informatização, passassem a conviver com a ameaça de desemprego, gerando uma grave tensão social.
20 DE MAIO DE 1989 - Rajiv Gandhi é vítima de um atentado levado a efeito por militantes do movimento de libertação Tâmil, sendo sucedido pelo líder do Partido do Congresso Nacional Indiano:
Narasimha Rao que dá início a uma política de ampla liberalização econômica.
CONSEQÜÊNCIAS DA NOVA POLÍTICA - apesar de alguns êxitos, principalmente a queda da inflação, a diminuição do déficit público e o aumento das exportações, as medidas do novo governo trouxe consigo uma violenta onda de protestos populares, agravando os conflitos étnicos. Em 1996, após uma fragorosa derrota eleitoral, Rao renunciou ao cargo de Primeiro-Ministro. Uma nova “estrela” política ascendia aos céus do cenário indiano: o Partido Janata.
1998 - o Partido Janata, a frente da uma coligação, obtém maioria parlamentar e seu líder Atal Bihari Vajpayee tornou-se o Primeiro-Ministro.
MAIO DE 1998 - a Índia leva a efeito uma série de testes nucleares que foram seguidos por ensaios semelhantes por parte do Paquistão.

Um comentário:

Fico muito agradecido pela sua visita.
Me perdoe não poder responder às suas perguntas.
Se gostou e quiser elogiar ou criticar positivamente, ficarei agradecido e até envaidecido.
Se não gostou, não há necessidade de expor sua ira, frustrações ou ignorância escrevendo grosserias. Simplesmente procure outro material na internet.
Forte abraço!
Prof. Miguel